Feche os olhos


Inspirado no filme norte-americano Fight Club (1999) dirigido por David Fincher. Poema exclusivo para CartolaMAG.com


Eu continuo trepando
e espalhando a dor.
continuo, aborto
imprevisivelmente atrasado,
completando vinte anos de gestação,
mesmo após sair do útero em direção à lama.

Pinto.

E eu me sinto doente.
Me sinto estranhamente firmado em um sofrimento que é necessário.
É padrão. Mas isso não tem a ver com minha doença, que é outra.
Uma silenciosa, que não mata.
Sem grupos de apoio, sobrevivo.
E da sobrevida, a doença se alastra.

rola

Eu continuo fumando.
fumando todos os cigarros
que nunca fumei por não saber tragar.
Eu continuo remando por entre os carros
que nunca guiei por medo de atropelar sonhos, precedências.
no fim da rua, teu olhar rimando com o fim do meu olhar também.

dura

feche os olhos e respire devagar.
tente encontrar algo dentro de si.
porque do lado de fora, as coisas estão sendo corroídas.
E é algo necessário.

 feche os olhos.

Acompanhe mais de seus textos em seu blog Rudimentarium.


Veja também